Meu nome é Bond. Há 50 anos é James Bond!




 Escrito por Ricardo Branco

São agora 23 filmes, seis atores já viveram o papel e está completando cinco décadas do Agente Secreto mais famoso dos cinemas, Sir James Bond, o007.
Cada autor e cada época deu seu toque especial para o agente. Na década de 60 com Sean Connery, era todo lorde e conquistador, porém tratava as mulheres como objeto, na década de 70 com Roger Moore, ficou mais cômico, na década de 80 com Timothy Dalton mais parecia o Rambo, nos anos 90 veio Pierce Brosnan e todo seu ar de “espião” e finalmente nos anos 2000 temos Daniel Craig e seu ar de “Fuzileiro” (sem esquecer claro de George Lazenby o mais “humano” de todos eles), que não me agradou em seus dois primeiros filmes, para mim, aquilo não tinha nada de 007 (talvez o toque “Rambo de ser” do Dalton), mas vieram com a ideia de um Reboot, o “nascimento” da lenda do James Bond, a forma como ele evolui para se tornar o grande agente 007. Mesmo com isso na cabeça os filmes não foram nada bons e para mim entraram na lista dos piores filmes da franquia, mas eis que surge em 2012: 007 – Skyfall, e meu queixo caiu, eu fiquei de joelhos e tive que aplaudir Daniel Craig e esse belo filme.
O filme mostra um agente mais experiente, até chamado de “velho”, mas que acaba provando seu valor e se firmando ainda mais como uma lenda. Tem todos os toques que um filme de
007 tem que ter, desde a abertura como a muito não se via tão boa (e uma música incrível co-escrita e interpretada pela Adele), cheio de referências aos antigos filmes e os antigos atores, ele conseguiu ter um misto dos outros, até o tom dramático do Lazenby, que por sinal é um ótimo diferencial para esse filme, o diretor Sam Mendesmostrou que realmente assim como Nolan fez com Batman, dá sim para se ter um filme de ação recheado de drama na medida certa e se criar um excelente filme. O vilão é todo com o “tom” que esses filmes pedem e uma atuação belíssima de Javier Barden, eu chego a me arriscar aqui dizendo que é o melhor vilão da franquia, ele da show, indo do riso ao choro com expressões convincentes. 
Se você gosta de filmes de ação, ou de drama, ou melhor, ainda, uma mistura dos dois, esse filme irá lhe agradar muito, ele consegue colocar a ação nos momentos certos intercalado com o drama em partes essenciais para a trama (o filme tem mais de 2 horas e 20 minutos, mas que passam sem nem perceber). Para quem é fã ou só gosta mesmo dos filmes da franquia, não sei por que ainda não assistiu, tudo que você quer ver tem nele, com referências clássicas (como o Aston Martin DB5 dos primeiros filmes),  detalhes incríveis (como o drinque que não é citado, mas dá pra ver que é um Dry Martinifeito batido e não mexido)  reviravoltas e os exageros de um bom e velho filme de 007, eu acredito que seja um dos melhores (se não o melhor) filme da franquia. Me parece que o Craig assinou para mais dois filmes, então, por favor, não saiam dessa linha, desse belo roteiro com ação e drama (porque se eu quiser ver ação de agentes secretos eu tenho a trilogia Bourneou então desenfreada temos Die Hard entre outros), e que o passado de Craigse apague e renasça um excelente agente secreto que mesmo com 50 anos ainda tem muito para dizer: Bond. James Bond.