Cinetevê – Malévola (Maleficent)

 por Ricardo Branco

Depois de se aventurar como diretora há três anos atrás e de estar a quatro anos fora das telonas, eis que, em 2014, Angelina Jolie volta como protagonista numa releitura de um conto de fadas pelo estúdio Disney. Malévola acompanha a fada-madrinha/“bruxa-má” do conto Bela Adormecida, dessa vez do ponto de vista dessa “vilã”, quem acompanha Bela desde sua infância até seu despertar.

Eu não exagerei colocando essas aspas sempre que ia falar da protagonista desse filme: na verdade essa é a forma como a própria Disney (e o diretor Robert Stromberg) querem que você a veja, cheia de aspas. A ideia do filme é mostrar como a doce e inocente fada se torna a rancorosa e má bruxa que roga a maldição na criança filha do rei, o qual também é mostrado com seus problemas e ambições, os quais ajudam a bruxa tomar esse caminho.

É um filme sobre redenção, sobre mudança, sobre ponto de vista e, principalmente, sobre amor. Acredito que seja um dos poucos filmes dessa década que trata o amor dessa forma: um amor tão verdadeiro que supera o passado e as diferenças. É um filme lindo, literalmente, talvez pelo diretor ser conhecido na área de design gráfico e efeitos especiais. O filme não economizou nessa parte, com cenários incríveis, animais fantásticos e imagens de cair o queixo, mas também com uma ótima atuação de Angelina. A atriz caiu muito bem no papel de uma história já velha, mas muito diferente e contada de forma tão interessante que vai te prender (mesmo em um momento no meio do filme que o roteiro se perde um pouco e fica lento, em minha opinião, muito mais do que deveria). Um divertido conto de fadas, contado de um ponto de vista diferente.

 

– Vale o Ingresso.

Rolou o dado: Tirou 15 em um d20.