Covil de Livros 27 – A Música do Silêncio




Bem-vindos, amigos, ao Covil de Livros! E hoje Basso, Edu e Ezequias se abstêm de suas vontades e deixam que o Foxen, a roda dentada e o pequeno anel de luz outonal guiem este programa sobre A MÚSICA DO SILÊNCIO. Esse livro foi publicado em 2015 e escrito pelo Patrick Rothfuss. sendo uma espécie de spin-off da Crônica do Matador do Rei que trata da MAIS FOFA personagem desta trilogia: AURI!!!

Neste podcast descubra como um livro com apenas uma personagem pode ser cativante, aprenda a respeitar a vontade de tudo no Universo (seja animado ou inanimado) e descubra qual é o grande segredo que Auri esconde.

ALERTA DE SPOILERS!!!

Citados no programa:

Quer concorrer ao livro “Um Estudo em Vermelho” da editora Zahar? Clique na imagem abaixo e saiba como:

sorteiosherlock

Quer falar com a gente? Então…

itunes logotwitter-logo-300x168Logo-Facebook-300x168Feedburner-logo-300x225

 

 

Ou mande um e-mail para COVILDELIVROS@COVILGEEK.COM.BR

  • Ezequias Campos

    Gostei muitíssimo de participar deste excelente cast!

    (aguardo um só sobre doctor who)

    kkkkkkkkkkk

    • Valeu Ezequias!
      E pode tirar o cavalinho da chuva: o Covil de Livros não irá falar de Doctor Who!

      • Tem livros de Doctor Who, então isso pode ser negociável Xp(Edu aqui)

        • Rodrigo Basso

          Pode ser negociado sim… a resposta é NÃO.

          • Ezequias Campos

            The TRETA has been planeted.

  • Clayton

    Finalmente o/
    Bora ouvir!

  • Ademar Rodrigues

    Ótimo podcast, como sempre escutando e me perguntando quando vai sair o livro 3 hehe, sobre a teoria da Auri ter sofrido um abuso acho muito provável, eu acho que a parte do livro que o Ezequias estava procurando fica na página 113.E infelizmente também concordo que para o Kvothe estar deprimido do jeito que está, algo muito ruim aconteceu com a nossa querida nomeadora Auri. Ps: Espero que o Patrick e o Martin não continuem com o martírio por muito mais tempo…

    • Obrigado Ademar, então o Patrick está com o objetivo de matar os membros do CL de vontade de ler :/

    • Rodrigo Basso

      Sinceramente, eu estou esperando mais o Portas de Pedra do que o Ventos do Inverno. Principalmente depois de saber o que a Auri pode fazer e ter lido umas 8 teorias diferentes sobre quem ela é (ou o QUE ela é…)
      Acho que ela sofreu algum tipo de abuso sim, mas não necessariamente de cunho sexual como o Ezequias falou.

      • Ezequias Campos

        Definitivamente alguém se FORÇOU nela. Algum abuso como o sexual ou de violência análoga.

        Mas como o Patrick (não o Estrela, o barbudo) sempre tem um pé de realidade na história dele… voto no mais provável num mundo “renascentista”.

      • ravnos

        Creio mais que essa violência foi auto infligida, como o kothe, onde praticamente todos os seus problemas foi por culpa dele. Se ela for a princesa a ser resgatada, ela era uma pessoa muito diferente, onde sendo da nobreza, sua vontade era suprema, o que ela queria, ela conseguia. A situação poderia chegar a um patamar mais elevado, quando ela entra na universidade aprende alquimia (onde basicamente é uma arte de imposição de vontade ao mundo, transformando uma coisa em outra) e nomeação. Em algum momento ela impôs a vontade dela ao mundo (podendo ser literalmente, por meio da nomeação) que ocasionou que muito ruim ao mundo ou alguém.

  • Clayton

    Caramba, não tinha associado a Auri a tal princesa salva pelo Kvothe, faz todo sentido pela educação e sofisticação da mesma. Não sei se o que fez ela ser do jeito que é, foi causado por um trauma como um estrupo. Acho que só o fato dela passar a enxergar a Verdade do mundo, seja o suficiente para que fique meio perturbada. Mas a teoria que envolve a mulher da imagem do vaso já é mais válida. Talvez seja a busca do líder do chandriano em trazer sua esposa de volta a vida, como de alguma forma ela fez com ele num passado distante.
    Em fim o livro trouxe mais perguntas que respostas.
    Excelente cast, até a próxima.

    P.S.: Pow galera, qual é o problema com O poder da espada? Tem personagens interessantíssimos e a história parece caminhar bem, já estou com os dois outros livros. cheguei a imaginar um cast sobre ele :/

    • Rodrigo Basso

      Obrigado, Clayton. Como a maioria dos bons livros, ele traz mais perguntas do que respostas. Sobre a mulher no vaso, não sei se a Auri tem alguma relação, mas acho que o lance da mulher do Haliax (era esse o nome?) faz todo o sentido.

      Sobre o Poder da Espada… desculpa Clayton, mas eu achei realmente ruim. Li o primeiro livro e está cheio de personagens estereotipados (O mago fodão, o inquisidor perverso, o playboy que decide treinar duro por causa de uma mulher, a mocinha forte que não é reconhecida num sociedade machista etc). Não há problema algum na utilização de cliches, mas a forma como ele apresenta já é TÃO desgastada nestes livros de fantasia que fica difícil de engolir.

      • Clayton

        Sim não digo que ela tenha relação direta com a figura no vaso, mas que tenha passado por ritual semelhante… não sei.
        Sobre o poder da espada:
        Talvez eu não tenha lido tantas fantasias assim, aí minhas referências são limitadas rsrs
        por que eu até tinha achado o mago Bayaz, um mago super diferente. Até o lance do inquisidor que é o monstrao aleijado e repulsivo é mostrado o lado dele, do que ele faz pra sobreviver no meio daquele jogos de interesse, ele mesmo ter sido vítima daquilo que ele faz hoje, gostei bastante de ter explorado esse lado. Outro personagem, O Logen a forma como ele é desconstruido do guerreiro lendário daa montanhas do norte, pra um cara que sente medo e remorso… em fim…
        Achei o livro bacana, Mas entendo Seu ponto.
        Concordamos que A música do silêncio é um excelente e belíssimo livro. ; )

        • Ezequias Campos

          Poder da espada é bem interessante: o poder do esquecimento. Só lembro do Glodka, o inquisitor. Personagem interessante. Mas o resto…

          Ah sim, isso me lembra sobre a questão dos livros do Prince of Throns… eu li o primeiro e o segundo.

          Tem coisa melhor no mercado. E não é porque apareceu no JN e tem capa dura e que é bom.

          Vão ler o pneu, digo a roda do tempo. Fantasia classuda e que sabe lidar bem com os clichês (quando eles existem)

      • Wesley Soares

        Eu li a trilogia da Primeira Lei e creio que o primeiro livro faz isso de propósito. Pois no segundo livro temos o começo da desconstrução desses esteriótipos e o terceiro livro trás bons desfechos para os personagens.

        • Rodrigo Basso

          Eu não li o restante, mas esse primeiro livro não me instigou a continuar lendo a trilogia.

  • Pingback: Respondendo a Tag I LOVE ANIME | Publicitaty()

  • Valdo Alves

    Vocês disseram que a Auri se tornou amiga do Kvothe do nada , mas no ‘O Nome do Vento” conta exatamente como isso aconteceu, acho que esqueceram, porque durou alguns dias de aproximação em que ele ia deixando alimentos pra ela ,até ele conseguir se aproximar..

    • Olá, Valdo!
      Então, apesar do Kvothe ter feito essa aproximação ao longo de um tempo, isso não foi narrado pra gente. Quando a Auri aparece em O Nome do Vento, Kvothe já havia estabelecido uma relação com ela, por isso que PARA OS LEITORES ela apareceu “do nada”. Acho que o Patrick quis manter esse ar de mistério dela, por isso optou por essa abordagem.
      Abraços e continue ouvindo o Covil de Livros!!!

  • ravnos

    EU IMAGINEI QUE O FOXEN ERA UM Poring (UM MONSTRO EM FORMA DE GOTA DO RAGNAROK)

  • Pingback: Covil de Livros 46 – Começando os trabalhos | Covil Geek()

  • Pingback: Covil de Livros 50 – Decifrando A Crônica do Matador do Rei | Covil Geek()

  • Thiago H. Rodrigues Santos

    Incrível essa Auri hein. Gostei muito dos podcasts sobre a crônica do matador do rei. São, deveras, meus livros favoritos. Sobre o foxen ficou claro pra mim que se trata de algo alquímico. Ela pinga gotas de algo nele que o faz emitir o tal brilho. E com relação ao abuso, não sei se é de cunho sexual, mas tem um trecho do livro que menciona: “…como um pulso preso Com força sob uma mão. Com o hálito quente do desejo é do vinho…”
    Pra mim isso é uma referência ao passado dela. Se admito que a premissa de que ela é a princesa a ser resgatada. Devo admitir que seu pai seja um rei. E se o Kvothe é o matador do rei posso presumir que o rei acha a Auri, a leva embora e para resgatá – lá nosso herói descobre sobre o abuso e mata o rei mesmo que não com intenção, mas como disputa pela liberdade da Auri.

  • Tatiana Haruhi

    No episódio vocês comentam sobre a teoria do novo nome que o Kovthe adota, mas pra mim (e para alguns outros na internet) ele tira o nome da expressão em Siaru “Chan Vaen edan Kote” que o Kilvin cita para ele após o incêndio da Ficiaria. O próprio Kovthe até chega a admitir não saber o significado de kote, quando o Kilvin o traduz como “disaster” em inglês e que em Português ficou como desgraça: “Espere uma desgraça a cada sete anos”. Descobri vocês por conta do Nome do vento e fiz toda a maratona antes de vir aqui comentar. Obrigada pelos ótimos casts 😉

    • Poxa, Tatiana, mt obrigado pela maratona! Acho que deu pra perceber o quanto gostamos dessa série, né? O melhor de fazer esses casts são os ouvintes que trazem novas informações pra gente. Isso do nome de “Kote” passou batido por nós! Obrigado pela contribuição.

  • Nathan Cristopher

    Por favor vocês ja leram Dragões de Eter e a série O Mago ? porque ambas as séries tem um lugar nos melhores livros do mundo pra mim , junto com a Bussola de ouro da trilogia (Fronteiras do universo) e a Crônica do Matador de Reis

  • Isa Prospero

    Outro ótimo cast! Essa era a única história do Pat que eu não tinha lido e fiz isso antes de ouvir o cast – não sei pq enrolei tanto pra ler, porque amei. O Pat só me impressiona, cara. A delicadeza com que ele escreve não tem igual. E eu gosto como durante umas 80 páginas nada acontece, e a Auri caminha com toda a cautela pra não tirar as coisas do lugar certo, então de repente ela faz o que é provavelmente o maior uso de poder da série toda. FODA.
    Ela me faz pensar no Elodin, que também ‘enlouqueceu’, talvez porque tenha descoberto poderes/nomes de muitas coisas. Mas essa novela me fez pensar que a Auri entende as coisas de um jeito ainda mais profundo do que apenas saber o nome delas.
    Só sei que não quero que ela morra no terceiro :'( #saveauri

    • Sim, esse livro pode ser descrito nessa palavra “delicadeza” é maravilhoso como o Pat trabalha, e a Auri é aquela pessoa que vc tem vontade de abraçar e ficar perto sempre de tão fofa que ela é, e mesmo assim, ela pode acabar com o mundo sozinha XD amo essas coisas, e, a mão desse autor de simplesmente escrever algo sem conflito, com um personagem((Ao contrario do conto do Bast que tem personagem saindo pelo teto)), e ficar algo delicioso de ler é incrível! Que bom que gostou do cast Isa ^^

  • Kvothe Son Of Arliden

    Conheci esse cast há duas semanas e vem fazendo uma maratona, e já venho revendo alguns!
    Parabéns pelo trabalho e pelas divagações deste belo Universo de Patrick Rothfuss; e logicamente, O Nome Do Vento, O Temor Do Sábio e o cast sobre as conjecturas da série principal são os meus favoritos.

    No mais fica aqui meus agradecimentos pelos casts e avante Covil!!!!

  • Diachinni

    Estou lendo o livro enquanto faço esse comentario. Vocês não acharam que o subterrâneo onde a Auri fica é meio que grande demais? Tenho a impressão de que é mto grande para ser só o subterâneo, sinto como se ela passasse por um portal ao atravessar uma das inumeras portas que existem lá, e outra coisa, lá ela encontra coisas que pra mim estariam em algum tipo de aposentos nobres, por exemplo o anel de rubi, o vestido, a cama com dossel e os próprios móveis. Até existem no inicio do livro partes que é possível entender exatamente que ela está no subterrâneo, como as partes que descrevem os canos e tal, mas me paresse possível que em algum ponto ela passe pra outro lugar. Como disse ainda estou lendo o livro, espero ter mais respostas até o fim.

    • Rodrigo Basso

      Olá!
      Acho que foi no O Nome do Vento que é dito que a Universidade (um complexo BEM grande) foi construído sobre as ruínas de outras construções. Tomando como base as Universidades que temos hoje em dia, acho bem possível os subterrâneos da Auri ser um único (e vasto) local, sem a necessidade de portais mágicos.

      • Diachinni

        É verdade, lembrei disso depois. É que ela descreve tantas portas e salas misteriosas que fiquei meio desconfiado. Tem tantos segredos não contados nesse livro que chega a dar uma agonia. Ah outra coisa, é claro que a Auri era uma aluna da universidade certo? Ela se refere a um professor uma hora, mas eu não tinha essa informação tão concreta na cabeça então fiquei meio confuso.

  • Diachinni

    Não sei exatamente se é por causa do nome ou outro porquê, mas tenho a imagem associada a Auri como sendo aquela cantora Aurora sabe? sempre que falo da auri a imagem da Aurora me vem a mente, pra mim já é ela.