Covil de Livros 35 – Poesia da Florbela Espanca




Bem-vindos, amigos, ao Covil de Livros! E despeçam-se de sua mortalha e seu burel, pois hoje Basso e Edu perdem a vergonha e falam sobre a poesia de FLORBELA ESPANCA! Uma das mais importantes poetas de Portugal (alguns dizem do mundo…).

Neste programa: vejam o Basso colocar o monóculo para explicar o soneto; entendam o porque da importância da poesia de Florbela para sua época ou para a época de hoje (#rainhadotwitter); e tenham uma pequenina amostra de como se faz crítica literária.

CITADOS NO EPISÓDIO:

Agradecimentos ao Ricardo e a Camila pela leitura dos poemas.

 

Quer falar com a gente? Então…

itunes logotwitter-logo-300x168Logo-Facebook-300x168Feedburner-logo-300x225

 

 

Ou mande um e-mail para COVILDELIVROS@COVILGEEK.COM.BR

  • Abel Cruz

    Vocês estão há uns 5 programas ou mais sem citar Game of Thrones… desculpe por quebrar essa sequência! 😉

    • Só se o Basso Editou u.u eu falo na hora em que o Basso cita o tamanho da Florbela(figurativamente) “tipo a Brienne” ou algo assim, não tenho culpa se o Basso arrancar na edição, eu sempre faço minha parte u.u e teve outra citação na leitura de e-mail Xp

      • Abel Cruz

        O comentário tinha sido antes de escutar o cast… 🙂

        • coviloficial

          Mas eu comento em todos sim UHSAHUUHSAuhsuh só se o Basso tira na edição, ou foi bem rápido e passou batido Xp