É possível ganhar dinheiro sendo gamer?

Quer jogar jogos eletrônicos, na verdade, trabalhar com isso e ainda ser rico?

Cada vez mais é possível ganhar dinheiro sendo um jogador profissional de jogos eletrônicos. Analisando os últimos grandes campeonatos, podemos ver premiações gigantescas e jogadores de 15 a 26 anos se tornando milionários, como é o caso do Mid Laner Sumail “Suma1L” Hassan Syed da equipe de Dota 2 Evil Geniuses.

Esse jogador de 15 anos se tornou o mais novo milionário, vencendo o The International 5, o maior evento da história dos e-sports, organizado pela Valve (dona da atual plataforma de Dota 2)  com premiação de nada menos que US$ 18.000.000 (a premiação inclusive é maior que a premiação paga ao vencedor da Libertadores da América, que é de aproximadamente US$ 15.000.000).

Sabemos que no caso de Suma1L, oportunidades e talento foram os principais colaboradores para que essa vitória fosse alcançada. Jogando um Dota fino, seguro e bem agressivo, ele bateu em jogadores bem mais experientes e é considerado já um dos grandes mid laners da história.

e sports 1

Mas se tornar um profissional nos jogos é fácil?

Não. Assim como em qualquer outra profissão, ser um jogador profissional de e-sports exige sacrifício, dedicação e muito estudo! Sim, jogadores de e-sports possuem equipes que passam dados, mostram replays e jogadas das equipes adversárias, analisando pontos fortes e fracos das estratégias e quais seriam as melhores seleções de heróis para se jogar contra. Além disso, manter-se atualizado no metagame (Metagame é a seleção de heróis, itens e estratégias que está mais forte na atualização mais recente do jogo) também é essencial. Basicamente, funciona como as grandes equipes de futebol. Em alguns casos a equipe de “olheiros” pode ser tão grande quanto a de uma equipe de futebol.

E no Brasil é possível se tornar um jogador profissional de jogos?

Sim, mas aí já entramos em outro ponto que é um problema de nossa cultura. Damos muito valor para o que vem de fora e pouco valorizamos o que temos. Como assim? Vou explicar.

Algumas equipes de League of Legends (LoL) brasileiras trouxeram jogadores coreanos para tentar vencer campeonatos internos e se classificar para o mundial. É válido? Com certeza! Os coreanos são os melhores em vários jogos, e no LoL as grandes organizações estão começando a ser mais presentes em pódios nos campeonatos que estão acontecendo no hemisfério norte, empresas como Samsung e Hyundai patrocinam diretamente equipes de e-sports, pois o público que compra seus produtos também gosta de jogos eletrônicos. Esse intercâmbio de culturas e habilidades é muito válido para nós, que temos pouco contato com as equipes de fora. Mas temos que analisar o outro lado da história também…

e sports 2

A outra via dessa mão dupla acaba ficando a ver navios e sem oportunidades. Grandes jogadores brasileiros ficaram 2 ou 3 meses sem um time, perdendo etapas do Campeonato Brasileiro de LoL (CBLOL),  pois a sua antiga equipe acabou contratando um jogador de fora que tirou sua vaga como jogador oficial do time.

Sem contar que, por ser algo relativamente novo, poucas empresas no Brasil patrocinam as equipes, tornando-se insustentável ser totalmente dedicado a um jogo eletrônico. Claro, existem campeonato que pagam bem, mas nada comparado ao que se investe e o que se paga fora do Brasil e aí é onde mora o perigo.

Sabemos que cada vez mais empresas, principalmente da área da tecnologia, tem investido grandes recursos em jogadores e organizações de e-sports no Brasil, mas ainda é pouco. Para se ter uma internet de qualidade, uma casa com computadores, dormitórios, alimentação adequada e conforto para os jogadores morarem e treinarem é caro, poucas organizações tem condições de custear. Boa parte desse custo vem de torneios que eles vencem e não de patrocinadores ou apoio.

e sports 3

Portanto, nossa realidade não é tão simples para abandonar tudo e se tornar um jogador de jogos eletrônicos. Se esse é seu sonho, corra atrás! Mas saiba que ser jogador de e-sports ainda é algo complicado e poucos tem a sorte de se tornarem profissionais.

– muCKirana