Covil de Livros 41 – A Lenda de Ruff Ghanor

Bem-vindos, amigos, ao Covil de Livros! Começamos hoje mais uma jornada numa trilogia de fantasia da literatura nacional. Os aventureiros Andrey, Basso e Edu na companhia do “véio chato” Ezequias embarcam na leitura de A Lenda de Ruff Ghanor – Volume I: O Garoto-Cabra. Esse livro é de autoria do nosso querido Leonel “Master from Hell” Caldela, aquele que “chafurda na escatologia e no sadismo”.

Além de muita tietagem, vocês podem encontrar neste episódio: as influências de ser um projeto nascido Nerdcast; quem está mais chato? Korin ou Ezequias?; a decisão de fazer uma história “PG13” prejudicou o trabalho do Leonel?; e o que podemos esperar dos próximos livros.

PROGRAMA REPLETO DE SPOILERS!!!

 

Participe da promoção do Covil Geek que vai sortear um livro Paraíso Perdido! Para saber mais é só clicar na imagem abaixo:

PROMO SPOHR

Quer falar com a gente? Então…

itunes logotwitter-logo-300x168Logo-Facebook-300x168Feedburner-logo-300x225

 

 

Ou mande um e-mail para COVILDELIVROS@COVILGEEK.COM.BR

  • Paulo Roberto Silva Santos

    Opa, a tempos esperava um podcast sobre esse livro, eu li e gostei mas não tinha visto a opinião de outras pessoas, apesar das criticas negativas sobre o Leonel Caldela que tenho lido por ai, aprovei a escrita do cara e o trabalho editorial da nerdbooks!

    • Paulo Roberto Silva Santos

      A propósito o Lucien me trouxe ate aqui.

    • Olha Paulo, se vc gostou desse livro, precisa ir atrás dos outros livros do Leonel. A Lenda de Ruff Ghanor é o mais fraco dele, os outros livros são muito melhores, inclusive já fizemos podcasts de alguns dele.
      O Lucien é um cara fantástico!
      Obrigado por ouvir e sinta-se a vontade para continuar comentando!

  • como “as crônicas” foram citadas no cast, quero deixar registrado que sim, robb stark virará lenda já que o casamento vermelho se deu a partir da violação das leis de hospitalidade e assim como o cozinheiro ratazana foi punido pelo deuses por violar a mesma lei.

    em ‘os ventos de inverno’ está agendado um casamento entre lannister e frey e essa será uma bela oportunidade para uma certa matilha que atua na região dos rios liderada por uma loba gigante entrar em ação e matar “geral”, sem contar a presença de LCdeP e a IsemE sob sua liderança.

    no mais, excelente cast principalmente a parte crítica de um dos participantes.

    • Bem apontado! Pena que não veremos esses desdobramentos, demora muito para que os acontecimentos vire, lendas.
      Muito obrigado pelo seu comentário, Rodrigo.

  • Gustavo Bacelar

    Olá pessoal, gostaria de dar os parabéns a vocês pelos ótimos podcasts. Despertei o gosto pela leitura recentemente, e comecei logo pelo Nome do Vento, Temo do Sábio, Musica do Silencio e por ai vai. Achei o podcast de vocês buscando o nome do vento e não me decepcionei. Recentemente li o eu sou a lenda, muito bom e bem curtinho. Uma sugestão para algum próximo podcast. Estou lendo a trilogia do “Arqueiro” agora e ja encomendei o Dracula, que por sinal vi que ja fizeram um podcast deles. Obrigado pelos podcasts, estão me fazendo companhia durante o trabalho. Sou desenvolvedor web, se precisarem de alguma ajuda podem contar comigo.

    • Olá Gustavo! Os livros do Patrick são praticamente os “carro-chefe” aqui do Covil de Livros ahsuhaushauhs! Se vc já ouviu nossos podcasts sobre os livros, deixe seu comentário lá no post. Ah, falamos um pouco da Trilogia do Arqueiro no podcast sobre o Bernard Cornwell, depois confere lá.
      E obrigado!

  • Mateus Folletto

    Esse foi meu primeiro livro do Caldela e devo dizer que de fato a maneira que ele escreve é viciante de ler. Tudo é tão fluido e tranquilo, sem trava-línguas ou sinônimos desnecessárias pra tentar enriquecer o texto. Apesar da escrita ser ótima o livro em si é meio “bland”, personagens com apenas uma dimensão, e o Ruff é um tanto Gary Stu, sendo capaz de fazer o impossível só por que sim. O final, entretanto, estava sendo bem divertido, mas quando um anjo surge do nada e começa a falar coisas como o Ruff sendo filho de crianção de um minotauro eu achei muito caído. Eu cheguei a rir sozinho como se aquilo fosse só uma pegadinha, era tão interessante ele ser essa criatura lendária, devorador de mundos, mas a ideia de um minotauro cair do nada na trama me foi engraçada.

    Não sei se você leram os livros do Solano, recomendo, embora o primeiro sofra de um final muito rápido e sem sal.

    • Rodrigo Basso

      Olá, Mateus!
      Concordo em muitas coisas que vc disse. Sobre a dimensionalidade dos personagens, acho que isso melhora no livro 2, com o trio de protagonistas ganhando mais uma camada e mostrando outras facetas deles.

      Eu gostei da reviravolta do final. Isso é meio que uma marca do Caldela, vemos em outros livros dele tb. Mas entendo o “do nada” que vc disse.

      Nunca li nada do Affonso Solano, vou dar uma olhada.

      Obrigado por comentar!