Covil de Livros 43 – O Olho do Mundo!!!

Bem-vindos, amigos, ao Covil de Livros! E segurem-se nas suas cadeiras pois hoje seus pedidos foram atendidos, e Basso, Edu e Ezequias se juntam pra falar do livro O Olho do Mundo!

Neste programa: Entendam o motivo do Basso e do Edu perderem pontos com vocês, a razão do Ezequias ganhar o premio de tiete do ano, a sorte de não existir plagio por ideias e as motivações do ódio de alguns integrantes!

 

Quer falar com a gente? Então…

itunes logotwitter-logo-300x168Logo-Facebook-300x168Feedburner-logo-300x225

 

 

Ou mande um e-mail para COVILDELIVROS@COVILGEEK.COM.BR

  • Gustavo Bacelar

    Opa, parabéns pelo podcast, o melhor é a frustração do Ezequias ao tentar defender o livro e falando que ele não é uma copia do SdA.

    Eu estava pesquisando a Roda do Tempo como um possível livro para ler, não sabia direito qual o plot, mas a idéia de trabalhar com o tempo me chama muita atenção.

    Pelo que entendi, esse livro é uma versão Dragon Ball Z de o Senhor dos Aneis. Na época dos filmes tinha lido o senhor do aneis, e acho que vou ficar so com os 3 livros do senhor dos aneis mesmo.

    É isso ai, sucesso.

    • Pois é, o Ezequias bem que tentou, mas falhou miseravelmente. Seria melhor admitir o plágio e seguir defendendo o livro por outras frentes, como a escrita e o protagonismo feminino.
      Agora, esse lance de “fica bom depois do terceiro volume” não cola. Ou o livro se garante sozinho ou teremos alguns problemas em continuar a leitura.
      Novamente agradecemos seus comentários, Gustavo!

  • Rafael Roberto

    Fala povo, já estou lendo o 4 livro da série e confesso que minha impressão do livro 1 não foi das melhores, parecia sim um plágio de Senhor dos Anéis. Continuei a leitura pelo apelo comercial da série e posso dizer que a série melhora no decorrer dos livros, enfim a série me parece uma grande novela de fantasia mas aos fãs do gênero eu recomendo a leitura, vlw.

    • Que bom Rafael que você diferente do noso querido Ezequias, entende a nossa comparação, oBasso, vai ler o segundo, e eu Edu rometo que se o Basso gostar eu leio XD valeu pela recomendação!!!!!!

  • Isa Prospero

    Cheguei um ano atrasada mas venho dar meu apoio ao Ezequias, que só foi atacado. #tamojunto
    Eu li a Roda do Tempo é uma das minhas séries preferidas, apesar de alguns momentos mais parados e alguns personagens e subtramas chatinhos. Talvez as expectativas altas tenham atrapalhado com a leitura de vcs – acho que quando as pessoas elogiam muito a série, já leram alguns livros e estão animadas demais, e esquecem de mencionar que o primeiro é bem lento. Quando peguei o primeiro livro eu escolhi pela capa, sem saber nada sobre a série nem o autor, e procurando uma fantasia bem classicona mesmo. Nem esperava que fosse bom, e adorei! Não me importei tanto com o decalque da trama em relação a SdA porque já me interessei por vários personagens e consegui sentir a originalidade na construção do mundo, que realmente se desenvolve nas sequências. Também gosto como vc muda de ideia sobre muitos personagens ao longo da série (o Mat, por ex., que eu não suportava até o terceiro livro, vira um dos meus preferidos), como eles crescem e têm momentos bem satisfatórios, e como o mundo e a história vão ficando mais complexos. Mas claro que se vcs detestaram totalmente o primeiro livro, fica difícil recomendar pra continuar…
    Quanto aos clichês, só digo que se vcs acham que O olho do mundo é plágio de SdA, eu adoraria ouvir um cast sobre A espada de Shannara! (ok, não faria isso com vocês: eu não recomendaria Shannara nem pra zoar meu pior inimigo)
    E só tenho um contra-argumento, quanto ao fato de os caras serem velhos demais para ficarem nesse drama de não saberem lidar com mulheres: nosso amigo Kvothe é o pica das galáxias e também é igualzinho em relação a mulheres, e a idade de Rand & cia. e Kvothe é praticamente a mesma.
    E aproveito pra perguntar: vcs já leram Brandon Sanderson? Foi ele terminou A roda do tempo e hoje é um dos principais escritores de fantasia, mas não vi nenhum cast sobre ele aqui no Covil. Apesar de ele ser fã do Jordan, seus livros são bem diferentes: têm bastante ação logo de cara, os sistemas de magia são super originais e os cenários fogem da fantasia medievalista. Vale muito a pena. Recomendo Mistborn, em especial.
    Abraços!

    • Rodrigo Basso

      Olá, Isa! Muito obrigado pelo seu comentário, gostamos muito quando o pessoal dedica um tempinho pra conversar com a gente.
      Talvez vc tenha razão e o hype todo nos frustou um pouco ou seja apenas porque consumimos muita Fantasia e essa estava mt perto do que já vimos antes… não sei dizer com certeza, mas o livro não me pegou.
      Sobre o fato dos meninos com o “drama” em relação as meninas… bem, acho dou o braço à torcer pra vc. Fomos muito rápidos em julgá-los por isso e olhando de novo pra isso acho que vc tem razão.
      Sobre o Brandon Sanderson, mt gente recomenda aqui no Covil o Mistborns e acho que vou dar uma chance pra ele. É que são mts livros pra ler!!! kkkkkkk
      Abraços e obrigado por ouvir!

    • Gabriel Augusto

      Tambem chegando atrasado venho defender o Ezequias, de cara já falo que nunca li senhor dos aneis, mas sei de todos os pontos que são parecidos, mas dizer que o livro é mais do mesmo e não tem nada de original para mim é quase inaceitável, esquecendo os pontos que disseram ser copia de senhor dos anéis, um mundo pós apocaliptico, onde só as mulheres poderem usar magia tocando saidar a parte feminina do poder unico, os homens ao usarem magias enlouquecem e destroem tudo a sua volta pois a fonte de seu poder o saidin (parte masculina do poder único) foi corrompido pelo tenebroso, um herói que veio para salvar o mundo e destruí-lo ao mesmo tempo, personagens que “renascem” em eras diferentes, sonhos que são reais, padrões de acontecimentos que são tecidos pela roda, taverens que tecem esse padrão ao redor deles enlaçando pessoas e acontecimentos.
      E tantas outras coisas tão originais que não posso dizer por ser spoilers de outros livros, é a serie mais original que já li.

      • Gabriel! Tudo bem? então, em Brumas de Avalon só as mulheres basicamente usavam magia, por exemplo, entre outras coisas, não sei, eu(Edu) não consegui sentir nada original e relevante, talvez se seguisse e lesse os outros livros pode vir uma novidade, mas como a proposta é focar no livro e não na saga, a gente tem que ficar ali no debate(foi um trabalho segurar o Ezequias nesse ponto XD) o Basso ficou de tentar ler o segundo volume, vamos ver como ele vai sair dessa experiencia, eu assumo que desisti, talvez, se o Basso gostar do segundo bastante eu me arrisque XD

        • Gabriel Augusto

          Cara ja vi varias pessoas que não gostaram do primeiro livro amarem o segundo então recomendo muito dar uma segunda chance.

          • Ezequias Campos

            Tá vendo, gente, agora me sinto menos solitário, até hoje sou motivo de zoação por conta deste livro…

            O maior defeito desta série é que ela é LENTA. Não se pode ler ela com pressa das coisas aconteceram rápido, elas acontecem, e acontecem bastante, mas o autor realmente tem um timing próprio… mas depois do Dragão Renascido… bom, é só coisa nova, até chegar a famosa “barriga” que são uns 4 livros da série…meio dificieis de passar…

            No momento estou nele… no oitavo livro sem conseguir passar de um certo capítulo. Acho que fiz errado: lendo um atrás do outro, e acabei me cansando um pouco. E isso não é poca coisa, diferente de um cornwell… os livros aqui são verdadeiros tomos…

            Enfim, vamos a luta, quem sabe o Covil tenha um espaço para as sequencias desta (sim) maravilhosa série?

          • Gabriel Augusto

            Em um ano li cinco livros dessa serie e não estou me aguentando de ansiedade e saudade do universo, devo ler o 6 em breve. Mas não acho que demora até o 3 para engrenas, na verdade curti muito desde o prologo, e o final do livro 1 para mim foi fantástico, mas tem gente que não curte muito o 1 mesmo, mas o segundo normalmente é o ponto onde a galera engrena de vez na serie. “The death is no bar to my call” chega a arrepiar.

            Mas tem o fato de nunca ter lido SDA, mas o pessoal que conheço que ja leu sda diz que em a grande caçada o jordan se desprende da influencia do tolkien e a serie ganha muita originalidade.

  • Lucas Rabello

    A pessoa começa a ler o livro com as expectativas lá em cima, se frusta por causa do ritmo lento e clichês iniciais, desiste da obra e mete o pau. Que isso galera, não entendo como vocês desgostaram tanto da série, mas o fato é que ela é incrivelmente complexa e única. Não pega nem bem vocês ficarem um cast todo rindo e criticando uma série que tem tanta gente que idolatra. Não sei como vocês conseguem usar esse argumento de leitura parada e citar o senhor dos anéis depois. Senhor dos anéis era uma leitura totalmente lenta por causa do excesso de detalhamento, chegava a ser maçante a leitura. E também, vocês só pegaram o primeiro livro da série, isso é tipo pegar um livro de 100 paginas, ler as 10 primeiras e querer falar que o livro é ruim. Agora, deixando o rage de lado, acho que a questão foi gosto mesmo. Eu li o primeiro livro em 2 dias, nem de longe achei a leitura cansativa. O tempo todo tem diálogo, e você vai vendo se desenvolver um mundo complexo e bem construido. Fico até triste de ver vocês desmerecerem, ou pelo menos aparentarem fazer isso com uma obra dessas.

    • Oi Lucas, que pena que não gostou da analise, mas, nosso cast funciona com um livro não uma saga, infelizmente, não podemos falar por toda a obra, tanto, que, nós sempre falamos de livro por livro, raramente abordamos mais que um, e outro ponto complicado é que esse é o primeiro livro, aquele que abre as portas, o que tem a responsabilidade enorme de agradar aos leitores, e tanto eu(Edu) quanto o Basso, lemos basicamente ao mesmo tempo e sem comentar, e tivemos criticas muito parecidas, já na comparação com Senhor dos Anéis, é muito focada nos acontecimentos, que são basicamente os mesmos, não colocamos na narrativa, mas, se perguntar pra qualquer um aqui do Covil, concordaremos com você que a leitura dele(SdA) é super travada, não pelos mesmos motivos, claro, mas, ainda assim travada, nosso “rage” veio sem influencia externa alguma, quem indicou o livro foi o próprio Ezequias que esta no cast e ama a obra, mas, como dissemos, o Basso vai continuar lendo, e quem sabe ai não conquista ele, valeu pelo comentário!!

  • Eduardo Vinícius de Oliveira

    Engraçado que a minha comparação de SdA com a Roda do Tempo foi totalmente diferente da de vocês. Acredito que vejo algumas semelhanças entre os livros, mas acho que faz total sentido pela ideia da jornada do herói e tudo mais, tipo três amigos principais saindo em uma aventura para salvar o mundo etc etc. Com relação a dinâmica da leitura, eu achei SdA (pelo menos o primeiro livro) um saco para ler, me dava mto sono em algumas partes, já com a Roda do tempo a leitura voa, não sei se isso é devido as batalhas fodásticas ou a minha ânsia de querer saber o que vai acontecer depois. Espero que mudem a opinião no decorrer da série porque eu realmente tenho gostado bastante dos livros.