Vida Sonora – A Língua Que Falamos

Se quiser ouvir sobre o que vou falar antes de ler, pode conferir aqui: 001 – A Língua Que Falamos 

Quem é ouvinte de podcasts (e de rádio, se é que ainda existem…) sabe que os formatos dos programas variam muito pouco. O Nerdcast, sendo o maior podcast brasileiro, determinou muito o modelo: apresentação com uma frase engraçada, exposição do tema, blocos de conversa bem humorada separados por uma vírgula sonora; enfim, o modelo “conversa de bar entre amigos”. Isso não é obrigatório e também não é um problema, mesmo porque existem outros fatores que diferenciam cada programa, como os convidados, a temática, o ritmo etc. Mas quem ouve vários podcasts pode ficar um pouco cheio desse formato, não atoa que iniciativas como o Projeto Humanos tenham ganhado tanto destaque ao utilizar o formato “Storytelling”.

Recentemente eu ouvi o episódio 001 do podcast VIDA SONORA e achei um estilo bem singular, o qual eu vou chamar aqui de “Documentário”. Por mais que o tema seja muito do meu agrado (a língua portuguesa), o que mais me chamou a atenção foi como o Igor Rodrigues resolveu apresentar a discussão sobre certos usos (e absurdos) que ele encontrou no nosso idioma. Ao invés do usual bate-papo entre amigos ou profissionais da área (o que confesso que seria a forma como abordaria o tema), ele decidiu fazer uma espécie de documentário ou, se você preferir, matéria jornalística sobre o assunto. Neste programa você não vai encontrar um host moderando uma conversa, mas um apresentador utilizando depoimentos de pessoas comuns, consultas aos professores/técnicos da área, fazendo experimentos, demonstrando exemplos para ilustrar algum fato e outros recursos para re/ratificar seu ponto de vista. Eu senti que estava escutando um documentário, pois os diversos “blocos” que compõe o episódio claramente foram realizados em diferentes momentos e organizados pelo Igor na edição para expor a discussão sobre o tema proposto no início.

Muitas pessoas associam documentário a algo “maçante”, mas alerto que nem sempre é o caso. O que eu encontrei aqui foi uma reflexão dinâmica e bem expositiva sobre um aspecto da língua portuguesa na sua prática do dia-a-dia. O tema é discutido com um pouco mais de profundidade e não possui piadas saltando a todo momento, por isso muitas pessoas podem estranhar na primeira vez que escutar, mas vale o esforço.

Particularmente, eu acho um frescor iniciativas como essa que propõe maneiras diferentes de usar a mídia. Isso demonstra que há muito ainda a ser explorado nos podcasts. Meus parabéns!

Se não escutou o programa ainda e eu te convenci, pode conferir aqui: 001 – A Língua Que Falamos