Covil de Livros 58 – A Árvore Reluzente




Bem-vindos, amigos, ao Covil de Livros! E fiquem espertos, pois estamos cercados por maus elementos…it’s a trap! Hoje nossos podcasters Basso, Edu e Gustavo discutem o conto “A Árvore Reluzente”, escrito por Patrick FUCKING Rothfuss (sim, podem esperar a tietagem…).

Eu poderia dar alguns pequenos teasers aqui sobre o episódio, mas… poxa! é um conto com o Bast como protagonista! Isso se vende sozinho!

Indicamos a página A Crônica do Matador do Rei no facebook. Ajuda a matar um pouquinho a saudades do Kvothe.

 

Quer falar com a gente? Então…

itunes logotwitter-logo-300x168Logo-Facebook-300x168Feedburner-logo-300x225

 

 

Ou mande um e-mail para COVILDELIVROS@COVILGEEK.COM.BR

  • Gustavo Bacelar

    O que falar desse podcast que acabo de ouvir e ja considero muito?
    Hahaha, sempre bom conversar sobre Patrick e as Cronicas do Matador de Rei.

    A edição ficou muito boa, parabéns.

    Valeu pessoal

    • Valeu pela participação! Nosso editor agradece seu comentário! kkkkk

  • Clayton

    Fala galera do covil, muito bom o cast.
    Vocês perceberam que foi com a conversa com o kostrel que Bast tem a epifania de fazer o Kvothe escrever um livro, e que pra isso ele manobrou as coisas para que o cronista chegasse ao marco do percurso?

    Bast revirou os olhos dramaticamente. “Oh, vamos,  há outro livro inteirinho digno da questão.” 
    “Bem, talvez você devesse escrever um livro, então,” Kostrel disse categoricamente. “Aí você                         
    pode me emprestar e matar dois pássaros com uma única pedra.” 
    O comentário pareceu pegar Bast de jeito. “Escrever um livro?” 
    “É o que as pessoas fazem quando elas sabem toda maldita coisa, não é?” Kostrel disse                               
    sarcasticamente. 
    “Eles escrevem para então mostrar.” 
    Bast olhou pensativo por um instante, então sacudiu a cabeça para desanuviá­la

    O que acham?
    Pra mim é quase certeza que a idéia surgiu aí.
    Abraços e continuem com o ótimo trabalho.

    PS. Quando vai rolar um episódio sobre as crônicas saxônicas, tem planos?

    • Olá, Clayton!
      Então, agora que vc apontou isso, estou pensando que pode ter surgido a ideia nessa parte sim…

      Sobre Crônicas Saxônicas, o problema é o tamanho da série e o fato de não termos ideia de quando ela vai acabar… mas essa é uma das nossas séries favoritas! Foi um dos motivos de termos feito um episódio dedicado ao Bernard Cornwell uns tempos atrás. Sugestões de como fazer isso são bem-vindas!

      Obrigado por comentar.

      • Clayton

        Então sobre crônicas saxônicas
        Eu acho que seria interessante um cast abordando os três primeiros volumes da série que iria desde da infância de Ultred até o momento onde ele é Ragnar matam Kjartan e derrotam Ivar. Por que no quarto volume já dá um salto de tempo.
        Acho que os três primeiros num episódio só não teria problemas, porque apesar de serem muitos eventos, eles correm de maneira orgânica e bem fluida acho que daria pra comentar os pontos principais de cada volume finalizando com conclusão da rixa de sangue.
        É só uma idéia. Pelo menos pra dar início aos casts sobre a série.

  • Livia Tavares

    Gostei muito do podcast e gostei mais de saber que é um para livros, estava precisando de um podcast assim.

    Mas então, eu queria só comentar que a parte, da mãe do Rike (acho), que o Bast fala da colmeia e da abelha rainha selvagem para que a mãe do menino possa, de alguma forma, conseguir viver com os filhos na casa deles, e não mais depender do pai. Ao meu ver, essa foi a intenção do Bast nessa parte do conto, o que confirma o quão contraditório esse personagem é.

    Enfim, amei o podcast e espero que vocês continuem assim!

    • Ae Livia que bom que gostou do podcast ^^ valeu! è uma boa teoria, faz sentido o Bast pensar assim e entregar o “serviço completo” pro menino!

    • Diachinni

      Concordo plenamente.
      Quando ele come o favo de mel da Pam é cruel.rs

  • Diachinni

    Totalmente excelente!
    Gostei de mais do episódio, principalmente por ver que não sou o único completamente maluco pela qualidade empregada pelo Rothfuss.
    A cada novo personagem e aventura, tudo o que consigo pensar é que se tivesse um desejo no mundo seria poder estar nesse mundo.

  • Nathan Cristopher

    Por favor vocês ja leram Dragões de éter e a série O Mago ? porque ambas as séries tem um lugar nos melhores livros do mundo pra mim , junto com a Bussola de ouro da trilogia (Fronteiras do universo) e a Crônica do Matador de Reis

    • OI Nathan, então, sim, lemos o Dragões dw Éter sim, agora o O Mago eu (Edu) não li não, talvez o Basso tenha lido, mas vamos anotar aqui a dica, Valeu ^^

  • Gustavo Bacelar

    Li, ouvi e participei do cast.

    haha

  • Isa Prospero

    Só pra não deixar de comentar em todos os casts do Pat: amei esse conto <3 Bast é um dos meus preferidos, e o conto consegue ser divertido, sarcástico e tocante ao mesmo tempo. Como vcs disseram, é impressionante como ele consegue escrever estilos diferentes, e o sarcasmo da narrativa combina perfeitamente com o personagem.
    Também fiquei na dúvida quanto ao final e a cena com a mãe do garoto, e a internet parece não ter chegado a uma conclusão sobre isso, mas li uma teoria que concorda com um dos comentários aqui – que isso foi sobre o Bast ajudar a família a se recuperar economicamente (pq, ao encontrar a rainha, vc atrai as abelhas de volta para as colmeias). Mas acho que a indefinição/ambiguidade pode ser proposital, é a cara daquele maldito do Pat.

    • Rodrigo Basso

      Comente sempre, Isa!
      Eu gosto mt de ver como o St Patrick consegue escrever em diferentes estilos, acho que isso mostra seu domínio de escrita.
      Sobre esse final está difícil mesmo chegar a um consenso… por mais q seja lógico isso q vc trouxe, ainda assim sobra aquele tom de malícia quando Bast contou para o Kvothe… essa vamos ter que deliberar mais um pouco.
      Obrigado por ouvir!

  • Leonardo Hideki

    Olá, ótimo cast mas acho que tive uma concepção diferente da de vocês sobre a historia do Rike.

    Alerta de SPOILER do conto.

    Ao meu ver assim como o Rike já havia mentido para o Bast antes ele mentiu novamente sobre a mãe estar apanhando do pai se prestarem atenção na descrição desse momento o garoto está sem saber como explicar a situação ao Bast e quando ele finalmente consegue dizer ele não olha em nenhum momento no rosto do Bast, ele só olha para o chão uma clássica mania de crianças ao mentir, até que ele conta sobre querer matar o pai, onde afirma querer fazer isso com as próprias mãos, deixando claro que existe muito ressentimento do garoto com o pai.
    Então temos a cena com a mãe de Rike onde podemos notar que não nós é descrito nenhum machucado ou gesto que tentasse amenizar a dor assim como ela também não tenta esconder seu corpo, como vemos ao ela mostrar os seios após terminar de amamentar sua filha. Ou seja como o Rike pode estar tão machucado e a mãe estar bem se é ela que esta apanhando?
    Outra coisa que podemos notar nesse momento é como ela fala normalmente sobre o marido com o Bast; não acho que o Patrick esqueceria de descrever um reflexo tão importante como o medo e a hesitação de falar sobre quem te agride periodicamente; e por fim nessa conversa nos é exposto que o pai de Rike costuma passar dias em sua cabana de caça.
    Então que conclusão podemos tirar disso? o garoto está todo machucado e querendo matar o pai, a mãe está bem e o pai passa dias afastado na cabana de caça. A minha conclusão disso é que o pai está abusando do filho, porem temos a cena onde o garoto insiste em dar o amuleto de proteção para a mãe que faz sentido com a historia dela apanhar; mas se lembrarmos bem o amuleto serve para afastar o pai oque me deu a entender que o Rike estava sendo ameaçado pelo com algo do tipo:” Se você abrir o bico quem vai sofrer não é você e sim a sua mãe”.
    Dessa forma a cena com a mãe, faz muito mais sentido e dá ao desfecho da abelha rainha o seguinte sentido: Na conversa do Bast com a mãe do Rike,
    nós ficamos sabendo que ele cuida de abelhas e como ela perdeu varias colmeias em várias adversidades até ela dizer que vendeu a ultima para pagar impostos e só restaram duas colmeias coincidentemente o mesmo numero de crianças que ela tinha em casa naquele momento o bebe de colo e a garotinha de olhos escuros; ou seja no final quando ela pega a abelha rainha ela volta a ter 3 colmeias para cuidar assim como 3 crianças.

    • Rodrigo Basso

      Olá Leonardo!

      Olha, esse é uma interpretação possível, mas acho improvável. O Rike olhar para o chão pode ser vergonha ao invés de mentira; a ausência de machucados VISÍVEIS na mãe pode ser apenas o fato que ela esconde os machucados (o que infelizmente aconteça muito a´te mesmo hoje em dia), da mesma fora ela falaria normalmente sobre o marido, afinal não iria revelar seus problemas domésticos com um estranho; concordo sim que o garoto é maltratado pelo pai, provavelmente ao tentar defender a mãe ou mesmo simplesmente por estar presente no momento e sobrar porrada para ele.

      Então, acho que ambos poderiam sofrer na mão do pai, mas o impulso do menino é defender a mãe, por isso pede a proteção para ela.

      Obrigado por comentar!