Falha Crítica 187 – Luke Cage!




Bem vindos heróis! E hoje damos sequencia a nossa analise das séries de Heróis da Netflix, com o Poderoso, ou melhor Luke cage! Sim, Edu, Basso, Ricardo e Guilherme se juntam pra falar dessa que talvez seja a melhor(sou tendencioso, me julguem) série dos Defensores, então, coloquem seus fones e aproveitem!!!

Para assinar o nosso podcast no Itunes, vá para:

Falha Critica no Itunes
Para ver nosso feed oer.com/falhacritica
Curta o Covil Geek no Fa
u adicioná-lo por e-mail, vá para:
http://feeds.feedburn
cebook!!!
Deixe comentários sobre o que você achou do programa! Ou mande um e-mail para contato@covilgeek.com.br

Quer falar com a gente? Então…

twitter-logo-300x168Logo-Facebook-300x168

  • LívCat

    Olá rapazes, estou ouvindo pela primeira vez e curti muito o cast de vocês, boa edição, trilha excelente. Acredito que Luke Cage vale um 18.

    Eu sabia quem era o Luke Cage, mas nunca li nenhum quadrinho sobre o personagem. Achei bacana essa informação que vocês trouxeram sobre ele não ser um negro estereotipo na série, diferentemente dos quadrinhos. O fato de produzirem a série dessa forma é positivo, mas será que preserva a verdadeira identidade da personagem? Não vou entrar no mérito, por não conhecer os quadrinhos, mas talvez seja sobre isso que o Tarantino esteja falando, sobre a perda da essência do personagem. A “licença poética” é uma modificação que ainda assim preserva a essência e ainda causa os mesmo efeito de sentido e sinestesia que a obra original. Mudanças bruscas na personalidade do personagem para mim não são licença poética. Você muda quem a personagem era, você cria uma nova personalidade. Mas talvez a mudança de tempo realmente requeira essas mudanças, afinal o que era uma maldade no anos 70 não é mais que um delito simples hoje em dia.

    Podem falar mal de novela mexicana, mas séries de herói está no mesmo nível no requisito previsibilidade. Você nem mesmo precisar conhecer a personagem previamente, determinadas atitudes tem resultados extremamente óbvios, e muitas vezes você espera até mesmo os resultados não óbvios. Eu o meu marido quando vemos séries desse tipo ficamos especulando, eu dou uma opinião e ele dá uma contrária, uma das duas está certa. Só existe plot twist em fim de temporada, não se pode esperar um recurso desse a todo tempo, mesmo porque, acredito que uma série cheia de destinos não óbvios acabariam recebendo críticas idiotas.

    Falando em critica idiota… Racismo reverso? Sério? A internet sempre vai me surpreender. Ou são as pessoas racistas sempre vão me surpreender. Acredito que quem acusa a série de racismo reverso é nada mais do que alguém que achou a série foda, mas é branco, não se sentiu representado, e ficou com inveja, rsrsrsrsrs. Essa série trás uma boa representação do universo Afro Americano.

    Seria foda mesmo se o Shades fosse alguém ligado ao Rei do Crime. São personagens assim que acabam anulando o herói.
    O povo contra o herói é um recurso comum em quadrinhos, mas achei intressante o destaque que vocês deram para o fato de que as pessoas que realmente conhecem o Luke Cage estão do lado dele.

    Acho que é legal a NetFlix explorar esses heróis menores, que são tão ou mais interessantes que heróis mais conhecidos como os Vingadores. Prefiro esses heróis marginalizados que fazem a sua justiça em uma escala menor. Eles não defendem o planeta, mas defendem sua área, e isso cria uma proximidade entre leitor e personagem.

    Sobre o “Zero 1”: Eu havia visto o piloto do programa, e eu achei muito bacana, tanto eu que não sou gamer (mas sou nerd), quanto meu marido que é nerd/gamer. Estou sabendo agora por meio de vocês que é essa é uma ideia “roubada”. Mas seja como for, acho o Tiago um cara bem carismático, e acredito que ele seja um bom apresentador para o gênero. Precisamos tirar da cabeça que quem curte games é só nerd. E eu acredito que é esse pessoal que o programa pode pegar.

    Ex.: meu primo é jogador de futebol e formado em educação física, ignorante para não dizer estupido, e é um muleke que sempre jogou games, desde criança. Ele não quer um cara nerd falando de games. Me corrijam se eu estiver errada, pois não sou gamer, mas vejo muito mais nerds falando de games que pessoas que são simplesmente jogadores.

    Concordo que tenha muito gente boa que mereceria um espaço para poder fazer esse programa. Mas creio que eles não chamem tanto atenção quanto o atual apresentador, ou não tenham a mesma desenvoltura para “falar na tv”. Parei para pensar agora, e me veio a uma parada de que o povo sempre fala que fazer teatro e fazer novela ou cinema, são coisas diferentes. Talvez fazer um vídeo de 15min para net não seja o mesmo q fazer um vídeo de 15min para tv.

    Massssss tanto faz. Programa é legal, o horário é uma merda. E acho que público mais old na net não vai assistir, mas pode ser que garotada mais nova (que aguenta o pique de ficar a madrugada toda acordada) vai assistir, e os não-nerds também (se não estiverem na balada).

    “Dono de empresa é velho que não manja nada de coisas de tecnologia” #EuRi. Vou guardar essa frase para usar em conversas estratégicas. rsrsrsrs

    Bom, é isso.
    Curti a opinião de vocês e espero pelo próximo cast.
    Bjss

    • Oi Liv, tudo bem? que bo que curtiu o cast ^^, então concordo contigo na parte de novela mexicana, ainda mais que, hq tem essa mania de infinito, logo, eles tem que recontar inúmeras vezes a mesma historia, e nada é permanente, você não teme por ninguém, já que todo mundo volta, essa, sempre foi minha principal critica quanto as HQs(Edu aqui), realmente a netflix abordar esses heróis mais “humanizados” com problemas mais reais, é muito bom, pois, abre um mundo novo pra explorar, racismo e a dificuldade de dar a volta por cima de um passado que te persegue de verdade no Luke Cage, Abuso e relacionamentos abusivos no Jessica Jones, a diferença entre justiça e vingança no demolidor, coisas que ficariam rasas ou mal trabalhadas em filmes de 1:30h.
      Quanto ao programa, o ponto pra mim, que puxei a critica, nem era bem ser nerd, eu generalizei quando falei colocando nerd como gamer, minha falha, eu quis dizer no sentido de, profissionais gamers, falariam melhor sobre um jogo, do que o cara que joga, ja que eles acarretam uma pesquisa e uma vida profissional baseada nisso, tipo, a opinião do cara da área, vai refletir mais o publico e acarretar mais informação do que a do cara que joga, e por mais carismático que o apresentador seja, acho(tudo achismo, eu sei UHASHUSHUASUH) que da pra achar um profissional com mó carisma e que ainda assim seja um profissional, isso me incomoda sempre que colocam alguém de fora de uma area, que poderia trabalhar em algo dele e ta tirando a vaga de um profissional de verdade que muitas vezes não tem a opção de trabalhar em outra coisa já que se especializou naquilo.
      Que bom que curtiu minha frase UHSAHUSHUASHUSHUAhus!
      Valeu mesmo por ter gostado, e espero que continue com a gente ^^

  • Carlos Valcárcel Flores

    Olá!
    Interessante análise! Gostei muito do seriado, mas para mim fica no segundo lugar, depois da primeira do Daredevil. Meus argumentos:
    -Os três primeiros capítulos de Luke Cage são muito bons! O personagem “Pop” é muito legal. O problema é que não identifiquei onde estava temporalmente com respeito as outras series da Marvel. A barbearia do Pop é velha, tem telefones antigos, então eu achei que o seriado era antes dos acontecimentos de Jessica Jones, depois percebi que era depois, mas essa duvida ficou nos primeiros capítulos.
    – Eu não gostei do sexto capítulo: “Olha, temos que fugir daqui…ops! eu tenho um caminhão, vamos escapar.!!”
    – Cotton Mouth é Mariah Dillard são bons vilões. Tudo deveria ter finalizado com eles na minha opinião. Tanto Luke Cage, como Jessica Jones e a segunda de Demolidor seriam bem melhores com 8 capítulos, eu acho.
    – Faltou uma cena de ação memorável, como a do corredor no Demolidor. Claro, os “poderes” entre esses heroes são muito diferentes, mas eu gostaria que exista uma cena de ação bem mais preparada.
    Eu não conhecia muito sobre Luke Cage antes, mas o seriado despertou minha curiosidade para conhecer mais sobre o herói.

    Abraço

    • Oi Carlos! Acho que os telefones antigos é pra dar aquele clima de barbearia velha mesmo, ele meio que não atualizava o lugar desde que abriu, realmente até ele falar da “ex dele” e aparecer a enfermeira, fica meio sem confirmar o momento
      8 capítulos seria realmente ideal pra todas essas series, eles esticam por medo é pra manter padrão, mas acho que o ideal seria cada uma ter o numero de episódios que precisar, se for 8, ok, se for 13, ok tbm
      Eu gostei bastante da cena do Luke invadindo a base, pegando a porta do carro lé! e a do “terno” foi muito forte tbm
      Luke Cage é um herói muito bom, e tem coisas novas saindo em compilados aqui no Brasil, vale a pena conferir!
      Abração!!!!