Covil de Livros 73 – O Crânio e o Corvo




Bem-vindos, amigos, ao Covil de Livros! E é com imenso prazer e grande satisfação que trazemos os aventureiros (quase épicos)  Basso, Edu, Ezequias Campos (@ezequias_campos) e Camila Gamino (@CamilaGamino) para continuar a melhor saga de fantasia medieval brasileira, a TRILOGIA TORMENTA! Dessa vez conversando sobre o segundo livro: O CRÂNIO E O CORVO.

Nesse episódio nossos heróis (e o Ezequias) continuam sua jornada pelos livros do Leonel “Master-from-Hell” Caldela e discutem sobre Orion e Vanessa Brake, Trebane, Ingram, Darien e muitos outros personagens! Quem é o vilão dessa história e por que sua motivação é tão original? Como deter o avanço da corrupção de Tormenta (se é que isso seja possível)? Quem é o Deus Maior da procrastinação? E a maior pergunta de todas: quando o Ezequias deixará de ser um véio chato?

ALERTA DE SPOILERS! Fiquem tranquilos que esse programa só contém spoilers do livro 2.

 

Confira o início dessa aventura em CL 72 – O Inimigo do Mundo.

 

Quer falar com a gente? Então…

itunes logotwitter-logo-300x168Logo-Facebook-300x168Feedburner-logo-300x225

 

 

Ou mande um e-mail para COVILDELIVROS@COVILGEEK.COM.BR

  • Lucas Mancio

    Parabéns pelo cast, muito boa a discussão, mas senti falta da discussão sobre cenas interassantes do livro, por mil porde ter 10 horas de duração, vou baixar e escutar de qualquer jeito, de resto excelente.

    Sobre o Trebane tambem fiquei decepcionado com sua morte, tambem fui até a ultima pagina do terceiro livro acreditando que ele irira aparecer, melhor personagem, pena que foi descartado tão abruptamente.

    Demais considerações, Orion chato, quebra legal de paradigma do anão, e a Vanessa é sensacional, por mais personagens assim em livros de fantasia.

    • Rodrigo Basso

      Olá, Lucas.
      Cara, foi com mt dor no coração que deixamos de comentar as cenas fodas desse livro. Até falamos disso no encerramento, mas não tinha como.
      Em compensação, no livro 3 será praticamente só “cenas fodas” o cast todo!

  • Jonathan Moreira

    Parabéns pelo cast de Crânio e o Corvo, achei que vocês iam demorar meses até voltar a falar do Caldela, e ainda bem que estava errado ^^
    Sobre cenas épicas que vocês deixaram de falar, vocês realmente deixaram de falar de muitas, mas muitas mesmo: Não falaram do Bandido, só citaram ele laaa no finzinho, não falaram da Liga dos Médicos Monstro direito e daquela batalha ÉPICA em Vectora, não falaram de toda a frescura e ateismo “toddynho” militante do Nash, não falaram nem um pouquinho da Guilda Sem Nome!!! Mano, a coisa mais massa do Ashlen voltar n’OCeoC é o Ashlen virar um GOD DAMN MOTHERFUCKER Escapista!! Eu aceitaria uma parte 2 de meia hora só de comentários pontuais do livro.

    E como nem tudo são flores, eu quero fazer uma pequena pontuação sobre a chatisse do Ezequias: ok, ele tem o papel de contra-ponto no cast, ele é o cidadão que chega e “freia” a empolgação da galera falando “Olha, não é bem assim, não é perfeito, tem defeitos, as pessoas podem não gostar pelos motivos X, Y e Z”. BELEZA, eu entendo isso de verdade e é ótimo ter um amigo pra fazer esse papel (já entenderam que não estou de “mimimi” né? Pois bem”

    Mas vamos falar bem sério mesmo? Reclamar dos nomes? DOS MALDITOS NOMES? “São legais demais, pareces ser personagens de RPG”… Bicho, não é por nada não, mas não é defeito não achar defeitos nas coisas (risos). Essa foi a parte mais besta do cast inteiro.

    No Brasil não se tem tradição de escolher nome por significado. Um cidadão se chama João porque os pais assim o quiseram. Eu me chamo Jonathan porque minha família assistia “Casal 20” e gostaram do nome do protagonista (Jonathan Heart)… Então não vejo lógica nenhuma de ter esse tipo de coisa num livro Brasileiro (se fosse em Tamu-ra o livro todo, até concordo, pela escrita em kanji e tal). Então acho que, o Ezequias pode sim achar ruins os nomes… Mas é uma crítica com tanta sustentação quanto um castelinho de areia feito a beira mar.

    Espero ansiosamente pela parte três, e eu tenho quase certeza que o Ezequias não vai gostar. Um abraço e até mais.

    • Rodrigo Basso

      Olá, Jonathan! Como assim “achou” que iríamos demorar meses pra falar do Caldela? Se vc consultar no CL, o Inimigo do Mundo saiu em Agosto/2016, então REALMENTE demoramos meses pra voltar pra Trilogia kkkkkkkk!!!

      Sobre as cenas épicas, tivemos que fazer uma escolha difícil, pois para inserir essa parte precisaríamos sacrificar uma grande parte da conversa ou comprometer o ritmo do episódio, deixando-o longo demais. Como o programa é voltado pra quem já leu o livro, achamos mais produtivo conversar e discutir o roteiro/personagens/escrita do que relembrar as cenas épicas. Tenha certeza que isso não foi feito sem uma grande dor no coração (vc percebeu que o Du deu uma “roubada” e citou algumas dele no encerramento?!?!), mas no final foi um mal necessário.

      Falando em necessário (kkkkkkk), o Ezequias irá continuar gravando com a gente e fechará a Trilogia Tormenta. Ele faz um papel muito importante também de impedir que citemos spoilers dos livros posteriores e fornece uma visão de quem não tem contato com o cenário de Arton (o que, na minha opinião, é um ultraje, pois todos que se dizem RPGistas deveriam conhecer o cenário de Tormenta! kkkkk). Sobre a discussão dos nomes, deixamos justamente pelo ponto que vc mesmo levantou: se a única coisa que incomoda neste livro são os nomes de personagens, então não há nenhum problema de verdade com o livro! Essa discussão mostra bem isso.

      Muito obrigado mesmo pelo comentário! Adoramos quando nossos ouvintes escrevem pra gente. E eu discordo de vc sobre o terceiro livro e acho que o Ezequias vai amar.
      Abraços!

      • Jonathan Moreira

        Ah sim verdade, faz tempo que vocês gravaram. Eu achei pouco tempo porque eu ouvi os casts a algumas semanas (o do Inimigo do Mundo e do Código Élfico).
        E realmente vocês evitaram forte os spoilers do terceiro livro. AH e não se esqueçam de citar a proposital coincidência dos livros serem nomeados em 1, 2 e três ( O Inimigo do Mundo, um; O CRÂNIO e o CORVO, 2; e O TERCEIRO deus, 3).

        Eu só acho que o Ezequias pode não gostar do livro por conta de algumas coisas serem bem pautadas no cenário, coisa que quem convive com o Tormenta RPG acha foda, mas quem não manja tanto boia. Minha namorada leu os três e agora esta adentrando ao mundo de Arton, e ela não gostou de muitas coisas por serem “meio internas”…

        Mas vamos ver no que dá hahahaha

        Um forte abraço

        • Rodrigo Basso

          Cara, eu não tinha pegado essa dos títulos! Vou citar no próximo cast!

          Vou tentar lembrar tb desse lance de ser “mt interno” os acontecimentos do terceiro para perguntar para o Ezequias. Tem alguns que eu até concordo e vou tentar falar sem dar spoilers: uma antiga rixa entre 2 regentes; uma certa espada roubada; a revelação do que foi a Revolta dos 3… mas acho a maioria serve para quem começou a conhecer Arton pelos romances mesmo.

        • Ezequias Campos

          Em tempo, algumas respostas:

          Não, tormenta não é meu cenário favorito, mas eu não odeio. Longe disso. Mas também não amo de paixão.

          Não eu não odiei o livro ou a série, pelo contrário. Gosto bastante, mas também eu não amo ele de paixão. Então quando estou lendo um livro eu vou julgar ele pelo que ELE tem não pelo que o universo dele proporciona ou as memórias afetivas que invocam (ora ora, agora vendo bem é exatamente isso que me falaram no episódio da roda do tempo, como o mundo dá voltas!).

          Os nomes são um problema para mim, eles são grandes virgulas, que me furtam a conexão com o mundo (como eu disse, parecem mesmo personagens criados arbitrariamente e não produtos do cenário). É uma critica chata, mas precisa ser feita, porque é sincera. Mas não é demérito para não continuar lendo o livro, com o tempo me acostumei, mas eu sempre me incomodo com isso quando estou começando um livro do caldela.

          O problema maior de tormenta para mim é que ele demora para se encaixar organicamente na minha cabeça, pois tudo parece ser muito arbitrário (eu tenho problemas com cenários de RPG neste sentido, sempre preferi os criados em casa mesmo).

          Ah sim, por fim, estou sim gostando do terceiro livro.

          Sim, ainda é um livro PARA explorar o cenário, continuo não achando que ele se vende sozinho (o universo demanda certo público, não há como negar), mas dentro da proposta, está muito bom (até onde estou lendo, pelo menos).

          Vamos ver quando terminar, qual será a minha opinião, darei a minha nota no cast!

  • King Buddy Holly

    Primeiramente parabéns ao Covil por um episódio tão empolgante!

    Ainda não li nenhuma obra do Caldela – mas o Inimigo do Mundo entrou na minha lista de leituras.

    E ainda descobri que a Camila, além de conterrânea, é uma colega de trabalho (plottwist)!

    abraços a todos e continuem seu trabalho!

    K!

    • Edu Sama

      Valeu!!! Não perca tempo, leia, é uma otima trilogia! Camilia colega de trabalho? nossa esse mundo é pequeno, não?

  • Pingback: Os 12 Trabalhos do Escritor #S02E03 Samanta Holtz e a Criação de Personagens | Leitor Cabuloso()